Início » Corte no Dedo

Corte no Dedo

Corte no dedo ocorre com muita frequência. Acidentes domésticos com faca, ao cortar um alimento, estão entre os mais comuns. Mas quando devo me preocupar? O que devo fazer? Neste artigo conversaremos sobre que medidas devemos tomar e a que sinais devemos estar atentos.

Neste artigo, falaremos sobre cortes que ocorrem em acidentes domésticos cotidianos. Lesões com faca ao preparar uma receita, estilete ao cortar algo etc. Cortes extensos ou cortes causados por serra circular (Makita) devem ter atendimento médico o quanto antes – cubra com um pano limpo e vá ao atendimento de emergência.

O que fazer após um corte no dedo?

Se cortou o dedo, a primeira coisa a fazer é colocá-lo sob água corrente e lavá-lo.
Se observar que o corte é profundo, com exposição de gordura (“bolinhas amarelas”), osso ou tendão (estruturas brancas), deve-se procurar atendimento médico imediatamente.

Caso seja um ferimento superficial, o mais importante será mantê-lo limpo.
Vacina antitetânica deve estar sempre em dia…. procure um posto de saúde ou centro de vacinação.

Tamanho do corte no dedo é o mais importante?

Não… Claro que ferimentos maiores nos assustam mais e nos fazem procurar atendimento médico de forma urgente, entretanto, até ferimentos puntiformes podem gerar lesões graves e que necessitem de intervenção cirúrgica.

A quais alterações devemos estar mais atentos?

Alterações de sensibilidade

Sentir parte do dedo “amortecido”, sentir menos que no dedo da outra mão, sentir como se estivesse com a pele muito grossa – tudo isso pode ser sinal de lesão do nervo digital.

Figura mostrando o trajeto das artérias e dos nervos digitais. Lesão de um dos nervos, causará alteração de sensibilidade apenas na metade correspondente do dedo.

Alteração da perfusão

A cor da ponta do dedo é um parâmetro importante. Se há alteração da coloração – se ela estiver pálida ou arroxeara em relação aos dedos vizinhos, o melhor a se fazer é procurar avaliação especializada o quanto antes. Pode haver necessidade de reparo de vasos sanguíneos (o que é feito com técnicas microcirúrgicas, com utilização de lupa e microscópio)

Alteração do movimento

Não conseguir dobrar ou esticar normalmente o dedo pode ser sinal de lesão de um tendão.

Importante destacar que algumas alterações podem não ser evidentes no momento da lesão (como pode acontecer com dedo em botoeira, por exemplo). Na dúvida, sempre procure avaliação especializada. Testes específicos no exame físico serão feitos e, se necessário, exames complementares poderão ser solicitados.

Observar se está conseguindo dobrar a ponta do dedo cortado e também dobrar apenas o meio do dedo (articulação interfalangeana proximal) enquanto os outros dedos são mantidos esticados, faz parte da avaliação de lesão de tendões flexores.

Teste de avaliação dos tendões flexores | Dra. Renata Paulos
Teste de avaliação dos tendões flexores. Na primeira imagem, avaliação do tendão flexor profundo do terceiro dedo, na segunda, do tendão flexor superficial do terceiro dedo. Imagem adaptada de M.Merle, La main traumatique.

Cortes profundos em que há exposição clara do tendão, devem preferencialmente ser explorados cirurgicamente. Pode haver uma lesão que não é completa, mas que necessite ser tratada (há indicação de suturar – costurar – o tendão, quando mais da metade dele está cortada).

Para cortes no dorso dos dedos (lado em que temos a unha) devemos nos atentar para o movimento de extensão. Mas como já dito, algumas alterações podem não surgir de forma imediata!

Cortes que incluem apenas a unha e o leito ungueal, não acarretam perda de movimento, mas podem evoluir com deformidade da placa ungueal. Consulte um especialista.

Corte no Dedo | Lesões diferentes dos tendões - Dra. Renata Paulos
Figura: Dependendo da posição em que o dedo se encontra na hora do corte, podemos ter lesões diferentes dos tendões. Avaliação por especialista é fundamental. Imagem adaptada de M.Merle, La main traumatique.

Importante: Todo tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa. O Núcleo de Ortopedia Especializada possui especialistas renomados em todas as áreas da Ortopedia moderna. Consulte um ortopedista especialista em mãos.

FAQ

1. Cortei o dedo, deram ponto, mas percebi que não consigo dobrar direito. O que fazer?

Necessário buscar atendimento com especialista em mão. Provavelmente houve lesão de tendão flexor.

2. Cortei o dedo, já tirei os pontos, mas a sensibilidade continua alterada. O dedo está um pouco amortecido e sinto choque no local dos pontos. Explicaram que eu devia esperar toda a cicatrização. Devo aguardar quanto tempo?

Alteração de sensibilidade após corte deve ser avaliada por médico especialista. Não se deve esperar… Lesões de nervo devem ser tratadas de forma precoce para aumentar as chances de boa recuperação.
Agende sua consulta/avaliação.

3. Tive um pequeno corte no dedo, praticamente um furo há uns dias. Não mudou minha sensibilidade, nem meus movimentos… Mas agora o dedo começou a inchar, doer e não consigo esticar por causa da dor. Devo fazer compressas?

Os sintomas são de provável infecção (tenossinovite infecciosa). Procure atendimento especializado o quanto antes. Infecções da mão não tratadas de forma adequada podem ter consequências sérias.

4. Sinto os dedos amortecidos, mas não tive nenhum corte. O que fazer?

Provavelmente trata-se de síndrome compressiva. A mais comum delas é a síndrome do túnel do carpo. Clique aqui e veja se  se enquadra com o que vem sentindo.

Para agendamento de consulta com a Dra Renata Paulos, especialista em cirurgia da mão e microcirurgiaclique aqui.

Cortes no dedo necessitam muitas vezes de avaliação especializada e de tratamento cirúrgico. Sensações de choque, “amortecimento” ou alteração no movimento merecem atenção especial e avaliação por especialista em cirurgia da mão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
Rolar para cima