Agendamento: 11 5084-1280 ou WhatsApp
Dedo Em Martelo

Dedo em Martelo

Dedo em martelo ocorre por descontinuidade da porção terminal do tendão extensor, podendo ser uma lesão tendinea pura ou uma fratura-avulsão.

No exame físico observamos uma deformidade em flexão da articulação interfalangeana distal, isto é, a ponta do dedo fica dobrada e o paciente é incapaz de estendê-la. Para definir o melhor tratamento devemos observar as radiografias do dedo, que devem ser feitas em três posições.

Quando não há fratura, o tratamento não cirúrgico costuma trazer bons resultados, e é realizado com imobilização da articulação interfalangeana distal em extensão (imobiliza-se a ponta do dedo, deixando-a completamente estendida) por 6 a 8 semanas.

Quando há fratura, o tratamento dependerá da aparência da mesma ao rx. Deve-se avaliar seu desvio e a posição da articulação, que pode estar subluxada (fora da posição correta). No tratamento cirúrgico do dedo em martelo associado à fratura, geralmente usamos fixação percutânea com fios de Kirschner (fios de metal), que depois de 4-6 semanas são retirados.

É importante estar ciente de que independente do tratamento empregado, um pequeno abaulamento/aspecto de inchaço pode permanecer e uma pequena diferença da extensão completa do dedo em relação aos dedos não lesados também pode existir.

Para lesões antigas (crônicas) o tratamento cirúrgico pode ser indicado, a técnica cirúrgica utilizada nesses casos é diferente da empregada em casos recentes (agudos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *