Início » Lesão do ligamento escafossemilunar – Dissociação escafossemilunar

Lesão do ligamento escafossemilunar – Dissociação escafossemilunar

Lesões ligamentares do punho são muito frequentes e este artigo tratará de uma lesão muito comum, que necessita identificação precoce e tratamento correto: Trata-se da lesão do ligamento escafossemilunar.

O ligamento escafolunar ou escafossemilunar é o ligamento mais lesado do punho e geralmente ele se rompe após quedas com a mão espalmada. Tratamento precoce é o que apresenta melhores resultados.

Anatomia

O que é ligamento escafossemilunar (ou escafolunar)?

É um ligamento localizado no punho, que conecta o osso chamado escafoide ao osso chamado de semilunar. Esse ligamento é dividido em três partes: dorsal, membranosa e volar. A porção dorsal é considerada a mais importante.

Ligamento Escafossemilunar | Dra. Renata Paulos
Figura destacando o ligamento escafossemilunar. Imagem adaptada de assh.org

Função do Ligamento Escafossemilunar

Qual a importância do ligamento escafossemilunar?

O ligamento escafossemilunar, mais do que apenas conectar dois ossos carpais, tem um papel muito importante na dinâmica normal do punho – isto é, no posicionamento correto dos ossos e no movimento harmônico que geralmente eles tem quando mexemos nosso punho.

Mecanismo de Trauma

Como acontece a lesão do ligamento escafossemilunar?

Costuma acontecer com traumas que causem hiperextensão do punho (levem o punho muito para trás). Um mecanismo de trauma comum é uma queda em que a pessoa apoia a mão no solo para se proteger.

Sintomas

Quais são os sintomas da lesão do ligamento escafossemilunar?

Os sintomas iniciais costumam ser dor localizada no dorso do punho e inchaço (que pode ser discreto). Os pacientes podem sentir certa perda de força e restrição de movimento do punho. Um sensação de “clunk” durante o movimento também pode estar presente.

* É comum os sintomas não serem levados corretamente a sério pelo paciente, que aguarda para ver se a dor passa e acaba, por esse motivo, procurando tardiamente o especialista. Importante destacar que isto traz consequências negativas e piora o prognóstico.

Exames Diagnósticos

Quais exames geralmente são feitos para o diagnóstico da lesão do ligamento escafossemilunar?

Primeiramente é fundamental a avaliação por um especialista em mão para que um exame físico detalhado e específico seja realizado. Dessa forma, os exames de imagens serão solicitados de maneira direcionada à hipótese diagnóstica.

Ressonância magnética costuma ser o exame mais usado (figura), além de radiografias em posições específicas do punho – como o Rx com o punho cerrado (FIG).

Porção dorsal do ligamento escafossemilunar | Dra. Renata Paulos
Imagem de ressonância magnética (normal) mostrando a porção dorsal do ligamento escafossemilunar íntegra (seta verde). (https://radsource.us/).
Lesão do ligamento escafossemilunar | Dra. Renata Paulos
Figura: Na primeira imagem de Rx com os punhos cerrados, vemos que a distância do intervalo escafossemilunar é a mesma entre os dois punhos. Na segunda imagem, observamos que, no lado que possui lesão ligamentar, a distância entre os ossos fica aumentada.

Radiografias simples do punho não costumam mostrar nenhuma alteração logo após o trauma – as alterações típicas aparecem muitas vezes mais tardiamente, como o sinal de Terry Tomas (figura) e a deformidade em DISI (em que o semilunar assume uma posição estendida e o escafoide fica fletido).

Lesão do ligamento escafossemilunar | Dra. Renata Paulos
Figura: Rx normal e rx com grande aumento do espaço entre o escafoide e o semilunar. Essa alteração radiográfica é conhecida como sinal de Terry Tomas, um comediante que tinha um grande espaço entre seus dentes (diastema).

Contudo, a forma “gold standard” de se avaliar o ligamento é por artroscopia – que pode ser um método diagnóstico e terapêutico. Nessa técnica, pequenas incisões são feitas e uma câmera e os instrumentos necessários são introduzidos no punho através das pequenas incisões.

Artroscopia mostrando a lesão ligamentar | Dra. Renata Paulos
Imagem de artroscopia mostrando a lesão ligamentar e consequente abertura entre o escafoide e o semilunar. Com a artroscopia, podemos olhar diretamente e “ao vivo” os ossos e ligamentos.
Dra Renata Paulos realizando uma artroscopia do punho
Dra Renata Paulos realizando uma artroscopia do punho. O procedimento é realizado no centro cirúrgico, com todas as medidas de segurança.

Tratamento

Tive uma lesão completa do ligamento escafossemilunar, tenho que operar?

SIM!! O Tratamento de uma lesão completa do ligamento escafossemilunar deve ser cirúrgico e realizado de forma precoce!!! Lesões crônicas são de tratamento mais complexo e os resultados em geral tendem a ser menos satisfatórios.

Lesões parciais podem diversas vezes ser tratadas sem cirurgia. Avaliação especializada é fundamental para definir o melhor tratamento.

Pós Operatório

Vou precisar ficar imobilizado após a cirurgia?

SIM! Na cirurgia costumamos deixar pinos metálicos provisórios (chamados de fios de Kirschner), para manter os ossos do punhos na posição correta.

Esses pinos são retirados após dois meses geralmente. Durante todo esse período, o paciente permanece imobilizado.

Para a imobilização, pode ser usada uma órtese feita sob medida e que o paciente remove para higienização da área imobilizada.

Lesões Crônicas – Tratamento

Como é o tratamento de uma lesão crônica do ligamento escafossemilunar?

O tratamento é muito variável. Dependerá se já há ou não artrose e caso já haja, qual sua magnitude.

Assim, teremos desde a opção de uma reconstrução do ligamento lesado (com ou sem ressecção de uma porção óssea que representa uma artrose inicial); ressecção de alguns ossos (carpectomia proximal) fusão de alguns ossos (artrodeses parciais) até fusão completa do punho (artrodese total). Avaliação por um médico especialista é fundamental, para que o tratamento mais apropriado para cada caso possa ser indicado.

Importante: Todo tratamento ideal deve ser individualizado e definido após uma avaliação médica criteriosa.
Consulte um ortopedista especialista em mãos.


Referências:
https://www.assh.org/s/
Green’s Operative Hand Surgery


FAQ

1. Como saber se o ligamento do punho rompeu?

Se após uma queda com trauma no punho (principalmente se apoiou a mão no solo ao cair) houve inchaço, hematoma, dor para movimentar o punho, sensação de perda de força e dor que está demorando mais tempo para passar, há chance de haver lesão ligamentar.

Os pacientes com lesão completa do ligamento escafolunar costumam ter dor à palpação da região dorsal do punho, na topografia do ligamento. Ser examinado por um especialista é de suma importância, assim, os exames necessários serão solicitados com foco na hipótese diagnóstica.

Algumas pessoas só descobrem a lesão após anos do trauma… quando o punho passa a doer de forma mais constante. Quando questionadas sobre trauma antigos no punho, habitualmente se recordam de um trauma de maior intensidade, em que as radiografias foram normais, a dor demorou para aliviar, mas com o tempo tornou-se branda.

** Importante destacar que lesões antigas possuem tratamento mais complexo e muitas vezes já não é possível reconstruir o ligamento. Portanto, caso tenha sintomas compatíveis, procure um especialista.

2. A lesão do ligamento escafolunar é o “pulso aberto”?

“Pulso aberto”é um termo leigo usado de forma muito popular para descrever sintomas associados à dor e instabilidade do punho. A lesão do ligamento escafolunar pode realmente abrir/ aumentar o intervalo entre o escafoide e o semilunar, conforme mostrado novamente nesta radiografia.

3. Fiz a cirurgia mas acho que o espaço entre os ossos ainda está maior do que o normal. Será que não deu certo?

A avaliação individualizada de cada caso é importante para tirarmos conclusões, mas de forma geral, é muito comum que o intervalo entre o escafoide e o semilunar fique um pouco aumentado mesmo com a realização do tratamento mais adequado. Esse aumento – pequeno e sem outros achados- não costuma trazer nenhuma preocupação.

O importante é que o movimento harmônico entre os ossos seja restabelecido, para que a evolução de alterações degenerativas (artrose) seja freada/ retardada.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress
Rolar para cima